Avaliar infraestrutura de segurança dos fornecedores evita o vazamento

Falhas de segurança podem ter resultados catastróficos para empresas de todos os portes. A gigante de transportes privado, Uber, está sentindo na pele os danos causados por ataques cibercriminosos que invadiram os servidores da companhia, por meio de uma brecha em um fornecedor de nuvem da plataforma. Conseguiram assim, acessar as informações de aproximadamente 57 milhões de usuários da plataforma.

Os danos, além dos vazamentos, também afetaram a imagem e atingiram o quadro executivo da companhia. Informações do jornal norte-americano Wall Street Journal indicam que o atual CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, assumiu o cargo em Setembro já sabendo da falha ocorrida no final de 2016 – e ainda levou dois meses para revelar isso publicamente.

Posicionamento do Uber

Em declaração oficial, a Uber indicou que os hackers tiveram acesso aos dados menos relevantes, como nome completo, endereço de e-mail, histórico de viagens e número de telefone dos clientes. Informações consideradas extremamente sensíveis pela organização, como dados bancários e de cartões de crédito, saíram imunes e, de acordo com a companhia, não foram vazados pelo ataque.

Novas notícias sobre os vazamentos ocorridos na base de dados da Uber indicam também que a operação da empresa no Reino Unido teve aproximadamente 2,7 milhões de contas invadidas.

Considerando todo o estrago realizado pelo episódio é importante lembrar que não existe receita de bolo para assegurar a integridade do ambiente digital corporativo.

A estratégia adotada pelas empresas passa por várias frentes, desde um planejamento completo de ações e processos a serem seguidos, passando pela contratação de soluções de segurança adequadas, sem esquecer o treinamento e orientação aos colaboradores. Ainda assim, infelizmente, essas iniciativas ainda não são tudo o que uma empresa pode fazer para blindar suas redes e servidores.

É preciso, também, cuidar dos fornecedores contratados pela companhia, que podem trabalhar em um ambiente comprometido ou pouco seguro, seja por falta de planejamento ou de investimento em infraestrutura. A atenção aos detalhes, certificações e a estrutura de segurança dos fornecedores é tão essencial quanto os cuidados tomados “dentro de casa”. 


Ainda com dúvidas? Fale com a BluePex®   |  Texto: Marketing BluePex®

Leia também: Cuidado com as fraudes eletrônicas

Quer ficar sempre protegido?

Assine nossa newsletter